Essa foto aí é da parte de trás da La Rouche. Você tem um passeio, descendo para pegar um barquinho e passar por dentro da La Rouche. Lindaaaaa!!!!!

Dia (zero) da chegada, após descanso, ficamos em Beirute para conhecer a cidade. Andar pelos arredores e dar de cara com o Mar Mediterrâneo e restaurantes de frente para o mar com comidas (claro) maravilhosas! Primeiro dia comemos Falafel e estava divino.

Falafel, bolinhos de grão de bico fritos, temperados com alho, salsinha, coentro e cominho. Come com molho de Tahine, salada e pão árabe.

Hospedamos em um bairro chamado Al Hoson, no hotel Bervely. Bem localizado, fica bem próximo a um pier que oferece diversas opções de comida em seus restaurantes. Bom para ir à noite.

Fomos ao famoso bairro de Hamra no dia seguinte da chegada, e é lá onde estão localizados muitos bares, pubs, cafés e uma vida noturna borbulhante. Cheiros exóticos por causa das Shishas (Narguile) disponibilizados por todos os bares, inebriam o ar. Achamos em plena Hamra Street uma feirinha de produtos orgânicos e sucos de romã. Também recomendado. Cheiroso e bom, feito na hora.

Muitos hotéis se localizam na região de Hamra, e pode ser uma boa opção para compras e diversão.

Uma coisa que me chamou a atenção é que sentamos em um café bonito, grande, e olhei para os pedidos das mesas. Sabe o que os locais comiam? Frutas. Uma linda bandeja de frutas, água e Shisha (narguile). É o que faz a diversão das pessoas locais. Saudável né? Cerveja é cara. Custa em torno de 15.000 LL ou US$ 10. A cerveja local é a Almaza.

Vou descrever o que fizemos em Beirute, claro não no mesmo dia, mas em momentos em que voltamos mais cedo dos passeios, ou antes de ir para algum. Como é verão em Julho o sol nos acompanhava até as 21h00, o que dava para aproveitar bem o dia.

Reparem pelo mapa que Beirute é toda rodeada pelo mar, o que faz dessa cidade uma das mais vibrantes do Líbano. Só de andar a pé pela cidade já vale a pena. Mas, vamos aos pontos de interesse.

La Rouche: é um ponto turístico e cartão postal do Líbano. Ao lado há um restaurante muito bom chamado Rock. Almocei lá e gostei muito. Você tem a opção de ver o por do sol de lá e também de passear de barco.

Downtown Beirute – Centro financeiro, de negócios e lazer e cultura. Você pode visitar várias atrações e por aqui é a Heritage Trail, um circuito para pedestres. O caminho é marcado por medalhões em bronze. Foi planejada para iniciar no Museu de História da Cidade. É dividido em 4 rotas. Uma verdadeira volta aos períodos Romano, Bizantino, Helenístico, e Fenício, revela uma história de mais de 5000 anos.  São aproximadamente 2,5 km de caminhada pelo centro da cidade.

Fiquem atentos quando estiverem caminhando

O Museu de História do Líbano – emocionante o passeio. Amei conhecer mais sobre história antiga, e é lá que os objetos achados em Byblos, Baalbek, e demais sítios históricos se encontram. Devido a Guerra Civil alguns objetos foram queimados, e hoje também faz parte da história. Vale a visita.

Algumas fotos do que pode ver no museu de história do Líbano. Essa primeira é de um pente,

 

Souk El Tayeb – é um mercado de produtores locais aberto aos Sábados na Trablos Street. Frutas, verduras, comidas típicas. Não conheci, mas olha a foto que convidativa.

Foto de imprensa do Souk El Tayeb

Robert Mouawad Private Museum – Era uma residencia privada no bairro Judeu de Beirute e foi transformado em museu pelo empresário Robert Mouawad. O palácio foi construído pelo colecionador de arte Henri Philippe Pharaoun em 1911. Você encontrará aqui objetos da cultura oriental e ocidental, porcelanas chinesas, cerâmicas além de uma coleção rara de livros. 

Planet Discovery – É um museu para crianças. Localizado no mercado de Beirute (Souk Beirut). Exibições sobre ciência e tecnologia oferecem aprendizado para crianças de todas as idades. O foco do museu é explorar sensações corporais, aprender sobre reprodução. Além disso ainda performances teatrais, workshops, laboratórios de ciências e puppet shows.

Garden of Forgiveness – O jardim do perdão é um projeto sócio cultural para memorar as cicatrizes da Guerra Civil do Líbano. Projetado ao longo da Green Line (linha verde), que era uma linha de demarcação entre os monumentos muçulmanos e cristãos durante a guerra. Membros de 6 religiões participaram do conceito, planejamento e desenvolvimento desse projeto. Contempla 3 mesquitas Mohammad Al-Amin Mosque, Emir Assaf Mosque e Grand Omari Mosque e 3 Igrejas, a Saint George Maronite Cathedral, St. Elie Greek Melkite Catholic Cathedral, St. Georges Greek Orthodox Cathedral. De acordo com os designers, o Líbano tornar-se-a próspero e será simbolizado por plantas representativas, como as Árvores de Judas (montanhas), Oliveiras (agricultura), e Citrus Trees (laranjas) da Costa.

Judas Tree

Para ir nas mesquitas utilize saias longas e mangas. Eles oferecem as “burcas” para você  vestir quando não estiver adequado a entrar, mas, muitas outras pessoas utilizam a mesma.

Tapete da Mesquita

Praias de Beirute

Não há praias com areia em Beirute. Há clubes privativos para que você compre sua entrada e utilize a infra-estrutura. Piscina, restaurante e o mar. São muitos ao longo da avenida Paris (beira mar) de Beirute. Próximo ao hotel que ficamos, no Pier também há um clube. Alguns bares também oferecem uma área privativa para que você desfrute do mar. Nesse vídeo eu estava em um bar/restaurante. Nessa área ao lado as pessoas ficavam em uma área privativa para nadar no mar mediterrâneo. Eles deixam uma escada para você voltar ao pier. É costume lá.

No mais, o que tenho a dizer é: se você ainda não tem um amigo Libanês, que o procure! O povo libanês é simpático, receptivo e alegre. Amei!

Custos diversos:

  • Cerveja – US$ 10
  • Refeição (geralmente serve 2 pessoas): US$ 20
  • Água (depende do lugar): US$ 2 (no máximo)
  • Passeio de barco La Roche: US$ 20
  • Táxi: em distancias menores US$ 10
  • Táxi do aeroporto até Hamra: US$ 30
  • Entrada para Museu: US$ 4
  • Obs: a grande maioria dos táxis não ligam taxímetro. Combine o preço antes.
  • Nós utilizamos uma cooperativa chamada Alô Taxi. O custo diário para passearmos (5 pessoas) era de aproximadamente US$ 180, com até 200km e 10 horas de serviço. Para nós valeu muito a pena.

* Tcharrafna – quer dizer, prazer em conhecer você!

Continuar lendo sobre a viagem:

5 thoughts on “Lebanon – Beirute – Tcharrafna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *